Posts

“É o mínimo”, afirma Willian Chimura sobre aceitação do autismo

Tempo de Leitura: < 1 minutoO pesquisador e youtuber Willian Chimura promoveu uma reflexão sobre o Dia Mundial da Conscientização do Autismo no 165º episódio do podcast Introvertendo – do qual é um dos integrantes. Sob o título “Dia Mundial do Autismo: Conscientização ou Aceitação”, o episódio foi conduzido pelo jornalista Tiago Abreu.

Na ocasião, Chimura comentou o fenômeno do ativismo autista que contesta o foco negativo do autismo no dia 2 de abril, para uma noção de que ao invés da conscientização, a aceitação fosse o principal objetivo. Para ele, “é o mínimo que a sociedade deveria ter, aceitar”.

“No meu entendimento, o objetivo de quem propaga essas mensagens é justamente o oposto, é justamente deixar muito claro que eles querem além do que só uma conscientização, que conscientização é o mínimo. A gente quer respeito, a gente quer interagir, a gente quer participar da sociedade, a gente quer serviços, enfim, tudo que envolve possibilitar uma melhor qualidade de vida”, argumentou.

O episódio está disponível para audição em diferentes plataformas, como o Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e CastBox, ou no player abaixo. O Introvertendo também possui transcrição de seus episódios e uma ferramenta em Libras, acessível para pessoas com deficiência auditiva.

Autistas compartilham experiências sobre fogos de artifício em podcast

Tempo de Leitura: 2 minutos

O podcast Introvertendo, produzido por autistas e com discussões sobre autismo, lançou nesta sexta-feira (1) o seu 155º episódio e o primeiro de 2021, chamado “O Problema dos Fogos de Artifício”. O episódio trouxe a participação de três adultos autistas e seus relatos sobre a virada de ano, especialmente a queima de fogos de artifício.

O analista de sistemas Paulo Alarcón citou que sofria com fogos de artifício na infância. “Mas com o tempo eu fui pegando o gosto e muito por causa do ambiente que eu fui criado. Eu fui criado grande parte da minha vida em Ubatuba, uma cidade litorânea aqui no litoral norte de São Paulo, uma cidade turística que tem a temporada aí na época das festas de Ano Novo e que tem uma queima de fogos extensiva feita pelos hotéis da região”, compartilhou.

Além disso, foi citado no episódio as discussões recentes dentro do legislativo brasileiro sobre fogos de artifício, incluindo a PL 6881/2017, que prevê a proibição de fogos de artifício com estouro em todo o país. O tema geralmente é abordado no contexto dos direitos dos animais, mas nos últimos anos também tem ganhado força em relação aos direitos dos autistas.

Segundo Tiago Abreu, um dos responsáveis pelo Introvertendo, “O Problema dos Fogos de Artifício” marca o início de um período de férias do podcast, em que apenas um episódio será lançado a cada duas semanas até o final do mês de fevereiro. Além disso, foi anunciado o ingresso definitivo de Carol Cardoso na formação. Ela já gravava com a equipe desde julho de 2020.

“A Carol é um achado, até porque ela não tinha redes sociais, nenhuma visibilidade na comunidade, e carregava experiências de vida diferentes por morar no norte do país. Mantínhamos contato desde 2019 e a primeira gravação com ela foi tão boa que continuamos a convidá-la mais vezes. É uma pessoa extremamente organizada e agradável que vai somar bastante no podcast em 2021, agora como integrante oficial”, afirmou Tiago.

O episódio está disponível para audição em diferentes plataformas, como o Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e CastBox, ou no player abaixo. O Introvertendo também possui transcrição de seus episódios e uma ferramenta em Libras, acessível para pessoas com deficiência auditiva.

Autistas contam histórias sobre direção de carros e autismo

Tempo de Leitura: 2 minutos

O podcast Introvertendo, produzido por autistas e com discussões sobre autismo, lançou nesta sexta-feira (10) o seu 152º episódio, chamado “Autistas no Volante”. O episódio trouxe a participação de cinco adultos autistas e as suas experiências com a direção de veículos como motos, tratores e, principalmente, carros.

O episódio trouxe a participação de cinco autistas: Thaís Mösken, a apresentadora, além do jornalista Tiago Abreu, o estudante de Medicina Otavio Crosara, a estudante de arquitetura Carol Cardoso e o estudante Michael Ulian. Todos eles, ao longo dos últimos anos, enfrentaram desafios ao dirigir veículos em torno das dificuldades do autismo.

Carol Cardoso reside em Macapá, no Amapá, e chegou a se envolver em dois acidentes. “Eu fico tão nervosa de dirigir, porque as coisas acontecem em um segundo. É muito fácil perder o controle da situação, porque acontece muita coisa ao mesmo tempo. Até hoje eu não entendo como tem gente que mexe no celular dirigindo, acho isso muito surreal, fora da realidade”, afirmou.

Além disso, Michael Ulian contou uma de suas experiências dirigindo um trator no interior do Paraná, Thaís Mösken relembrou conflitos de direção que enfrentou com um ex-namorado em São Paulo e Otavio Crosara destacou problemas durante dois processos de tirada de carteira de motorista na cidade de Goiânia.

Segundo Tiago Abreu, um dos responsáveis pelo Introvertendo, “Autistas no Volante” é o último episódio de bate-papo do podcast em 2020, que ainda lançará dois episódios comemorativos para encerrar o ano. Ele também falou sobre alguns planos da equipe do podcast, formada por 9 autistas adultos, para 2021.

“O Introvertendo tem muitas faces, uns episódios mais sérios e jornalísticos, outros mais despojados, alguns mais equilibrados. Este ano decidimos trazer um perfil mais sério, um estilo de podcast pop, limpinho e perfumado, bem de vitrine. Muita gente nos conheceu desta forma. Mas em 2021 queremos voltar a fazer coisas mais lúdicas, arriscadas e até ‘artísticas’ (risos). Vamos também fazer algumas pausas e em breve anunciaremos detalhes”, contou.

O episódio está disponível para audição em diferentes plataformas, como o Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e CastBox, ou no player abaixo. O Introvertendo também possui transcrição de seus episódios e uma ferramenta em Libras, acessível para pessoas com deficiência auditiva.

“As pessoas infantilizam o adulto autista”, afirma Sara Rocha

Tempo de Leitura: < 1 minuto

O podcast Introvertendo, produzido por autistas e dedicado a discutir autismo, lançou nesta sexta-feira (4) o seu 150º episódio, chamado “Capacitismo”. O episódio trouxe a participação de três ativistas e foi apresentado pelo jornalista Tiago Abreu, que é autista.

Um dos convidados foi o pesquisador Marco Antônio Gavério, doutorando em Sociologia pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e um dos teóricos sobre capacitismo no Brasil, a ativista e mãe Lau Patrón e a ativista portuguesa Sara Rocha, diagnosticada com autismo.

Sara Rocha reside no Reino Unido e possui uma página chamada “Autismo em Português”, onde fala sobre autismo para o público português e brasileiro. Ela criticou a infantilização de autistas, sobretudo por expressões como “anjo azul”. “A coisa do anjo realmente é algo que me incomoda bastante”, lamentou.

“O que acontece é que as pessoas infantilizam o adulto, ou seja, eles falam com o adulto como se fosse uma criança, ou então falam com uma criança como se ela não fosse inteligente apenas por ser não-verbal, por exemplo. E é algo que me incomoda bastante, porque só por ser não-verbal não significa que não é inteligente. Só por ser adulto autista não significa que não temos capacidades cognitivas de um adulto”, afirmou.

O episódio está disponível para audição em diferentes plataformas, como o Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e CastBox, ou no player abaixo. O Introvertendo também possui transcrição de seus episódios e uma ferramenta em Libras, acessível para pessoas com deficiência auditiva.

Podcast de autistas é eleito pela Apple um dos melhores de 2020

Tempo de Leitura: < 1 minuto

A Apple Podcasts liberou nesta terça-feira (1) uma lista de podcasts favoritos da plataforma em 2020. Entre os 12 nomes selecionados, está o Introvertendo, um podcast sobre autismo feito por autistas. O programa, produzido pela Superplayer & Co, foi lançado em maio de 2018 e aborda o autismo no cotidiano.

O jornalista Tiago Abreu, um dos organizadores da produção, comentou a seleção. “Nem tenho palavras pra dizer, só a alegria. 2020 foi um ano difícil em que nos dedicamos como nunca enquanto equipe, trabalhamos pesado no podcast, e contemplar isso apenas pode ser resumido com o sentimento de missão cumprida”, afirmou.

Neste ano, o Introvertendo produziu duas reportagens publicadas pela Revista Autismo: “Fé no Espectro”, capa da edição de nº 10 da revista, e “Raça”, integrante da edição de dezembro. Além disso, o editor-chefe da revista, Francisco Paiva Junior, esteve no episódio “Autismo na Turma da Mônica”, publicado em abril.

Além do Introvertendo, outros 12 podcasts foram reconhecidos: Praia dos Ossos (Rádio Novelo), Finitude (Rádio Guarda-Chuva / B9), Fora de Hora (Gshow), Rádio Uzona (Teatro Oficina Uzyna), Projeto Humanos (Half Deaf), 40 Semanas (Folha de S.Paulo), Futebol Bandido (UOL), Resumido (Bruno Natal), AmarElo – O filme invisível (Laboratório Fantasma), Discoteca Básica (Ricardo Alexandre) e Donos da Razão (Half Deaf). Por fim, A Terra É Redonda (revista piauí) foi eleito o podcast do ano.

Efeitos das mudanças climáticas para autistas é tema de podcast

Tempo de Leitura: 2 minutos

O podcast Introvertendo, produzido por autistas e dedicado a discutir autismo, lançou nesta sexta-feira (26) o seu 149º episódio, chamado “Autismo e Mudanças Climáticas”. O episódio, que teve como base as mudanças climáticas no mundo e o efeito para autistas, contou com as participações de Carol Cardoso, Tiago Abreu e Willian Chimura, todos autistas.

“Nossa abordagem, neste episódio, foi de tentar mostrar como as discussões ambientais e o autismo não são temas necessariamente distantes”, explicou Tiago Abreu, o apresentador. Entre as discussões feitas no episódio, também foi abordado o apagão no estado do Amapá, que durou a maior parte do mês de novembro.

Carol Cardoso é estudante de Arquitetura e Urbanismo e reside na cidade do Amapá, e refletiu a relação do apagão com as mudanças climáticas. “Eu não consigo deixar de pensar que a relação de distanciamento que nós temos do nosso sistema social com a natureza cria situações como essa, porque eu vejo que o que aconteceu no Amapá pode acontecer em qualquer lugar, mas que pela tendência de marginalização dos estados da região norte em relação ao resto do Brasil, acaba criando esse distanciamento de que ‘é muito longe da minha realidade, então eu não me importo tanto’ ou ‘o que acontece lá, nunca pode acontecer aqui’.”, criticou.

O youtuber Willian Chimura citou um estudo científico de 2020 que aborda relações de autistas com a percepção do clima e também comentou o hiperfoco que autistas podem ter com a temática das mudanças climáticas. Ele também lamentou os efeitos do apagão. “Olha que infeliz que a gente precisa esperar algum conflito maior, uma catástrofe acontecer ou partido A, o partido B que você não gosta falar, tomar alguma política, uma medida sobre algum desses estados que são marginalizados”, concluiu.

O episódio está disponível para audição em diferentes plataformas, como o Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e CastBox, ou no player abaixo. O Introvertendo também possui transcrição de seus episódios e uma ferramenta em Libras, acessível para pessoas com deficiência auditiva.

“Há pouca representatividade de pretos no movimento autista”, afirma Polyana Sá

Tempo de Leitura: < 1 minuto

O podcast Introvertendo, produzido por autistas e dedicado a discutir autismo, lançou nesta sexta-feira (13) o seu 144º episódio, chamado “Representação e Representatividade Autista'”. O episódio contou com a participação da estudante de Bioprocessos e Biotecnologia e ativista Polyana Sá, que dissertou sobre a participação de autistas nas discussões online sobre autismo.

Na ocasião, Polyana chegou a afirmar que o fato de ser negra é a característica que mais chama a atenção das pessoas em interações sociais e os efeitos do racismo no Brasil. “Há pouca representatividade de pretos, pretas, pretes, no movimento autista, porque a nossa população é uma população que tem pouco acesso às políticas públicas de saúde mental, tanto é que você não encontra muitos estudos a respeito disso”, lamentou.

Ela também refletiu sobre a possibilidade (ou impossibilidade) de ser completamente representativo quando o assunto é autismo. “Eu acredito que seja humanamente impossível a gente criar essa representatividade plena, mas um caminho pra gente seguir em busca de chegar próximo disso é a gente se preocupar em procurar esses autistas que se encontram em recortes mais ‘aprofundados’ do que os nossos e que às vezes não tem uma acessibilidade tão grande aos meios que nós já temos mais facilidade”, destacou.

Além de Polyana, também participaram do episódio o youtuber e pesquisador Willian Chimura e a estudante de arquitetura Carol Cardoso, ambos autistas. Os três ainda discutiram as diferenças dos níveis de autismo, a caracterização do autismo em produções culturais e jornalísticas, e questões regionais brasileiras relacionadas ao diagnóstico.

O episódio está disponível para audição em diferentes plataformas, como o Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google Podcasts e CastBox, ou no player abaixo. O Introvertendo também possui transcrição de seus episódios e uma ferramenta em Libras, acessível para pessoas com deficiência auditiva.

Irmãs de autistas relatam experiências em podcast

Tempo de Leitura: < 1 minuto

O podcast Introvertendo, produzido por autistas e dedicado a discutir autismo, lançou nesta sexta-feira (6) o seu 142º episódio, chamado “Irmãos de Autistas”. O episódio foi conduzido por Luca Nolasco e Tiago Abreu, ambos autistas, e contou com duas convidadas, que carregam em comum o fato de serem irmãs de autistas.

Nick Hernández trabalha no Ministério Público de Santa Catarina e tem um irmão autista de 23 anos. Ela chegou a afirmar que toda a família enfrentou desafios sociais decorrentes do autismo, mas que êxitos foram alcançados. “Então, eu posso dizer que hoje em dia o meu irmão tem as limitações dele, como todos nós temos, mas ele é muito feliz”, afirmou.

Já a carioca Isabella Werneck tem 17 anos e criou um projeto chamado ArTEAmando, com foco em atividades culturais para autistas. Além disso, ela criou um grupo online para irmãos de autistas. “Eu sei que em outras famílias os pais não são tão abertos sobre o diagnóstico do filho com outro irmão. Eu conheço gente que não entende que o irmão tá no espectro, o irmão é diferente e isso pode causar com que o relacionamento dele seja muito ruim”, lamentou.

O episódio está disponível para audição em diferentes plataformas, como o Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google Podcasts e CastBox, ou no player abaixo. O Introvertendo também possui transcrição de seus episódios e uma ferramenta em Libras, acessível para pessoas com deficiência auditiva.

Autistas relatam experiências com a saudade em podcast

Tempo de Leitura: < 1 minuto

O podcast Introvertendo, produzido por autistas e dedicado a discutir autismo, lançou nesta sexta-feira (30) o seu 141º episódio, chamado “Saudade (ou não sentir Saudade)”. O episódio foi conduzido por Michael Ulian e Tiago Abreu, ambos autistas, e se centrou discutir como autistas encaram com o sentimento da saudade quando as experiências de vida são ruins.

Segundo Abreu, o episódio surgiu a partir de uma reflexão sobre a forma unilateral que as pessoas encaram o tema da saudade. “E autistas que nunca tiveram a oportunidade de ter relacionamentos? Que vivenciaram situações de bullying durante a escola? Você envelhece e parece que o passado não importa muito pra você”, afirmou.

Michael foi diagnosticado com autismo aos 14 anos e tem dificuldade de se lembrar da infância. Por isso, ele disse não se prender ao passado. “Tudo já passou, tanto as coisas ruins quanto as coisas boas, não é algo que eu posso alterar. É realmente difícil você explicar isso pras pessoas”, refletiu.

O episódio está disponível para audição em diferentes plataformas, como o Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google Podcasts e CastBox, ou no player abaixo. O Introvertendo também possui transcrição de seus episódios e uma ferramenta em Libras, acessível para pessoas com deficiência auditiva.

Candidaturas de autistas nas eleições 2020 é tema de podcast

Tempo de Leitura: < 1 minuto

O podcast Introvertendo, produzido por autistas e dedicado a discutir autismo, lançou nesta sexta-feira (22) o seu 140º episódio, chamado “Autistas na Política”. O conteúdo foi apresentado por Tiago Abreu, jornalista e autista, e contou com as participações do ativista e pesquisador Willian Chimura e do advogado Engels Bandeira, também autistas.

“Autistas na Política” teve como pressuposto candidaturas nas eleições de 2020 por autistas que ocorreram em diferentes locais do Brasil e por diferentes legendas. O contexto eleitoral, inclusive, pode levar o Brasil a ter, pela primeira vez em sua história, vereadores autistas.

Acerca desse fenômeno, Chimura acredita que o sistema político, em seus moldes atuais, não é inclusivo para autistas. “Nós estamos falando de uma pessoa que necessariamente vai precisar se relacionar com o público, que vai precisar defender os interesses da população e negociar com com outras pessoas, com seus pares. E eu imagino que a forma atípica de se expressar, compreender alguma coisa, de usar algum termo de uma forma um pouco atípica pode até acabar criando alguma tensão que nunca foi a intenção realmente dessa pessoa autista”, afirmou.

O advogado Engels Bandeira, convidado do episódio, afirmou que defende cotas para pessoas com deficiência na política. “A luta pelos direitos das pessoas autistas é uma luta da comunidade toda em geral. É uma luta das associações, das pessoas autistas, pais, dos familiares. Não é uma luta de A, B, ou C, não podemos personificar essa luta jamais”, disse ele, em referência ao interesse público sobre a temática do autismo.

O episódio está disponível para audição em diferentes plataformas, como o Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google Podcasts e CastBox, ou no player abaixo. O Introvertendo também possui transcrição de seus episódios e uma ferramenta em Libras, acessível para pessoas com deficiência auditiva.

“Eu luto pra que o autismo seja reconhecido”, diz Pedro Melim Alonso

Tempo de Leitura: < 1 minuto

O podcast Introvertendo, produzido por autistas e dedicado a discutir autismo, lançou nesta sexta-feira (16) o seu 138º episódio, chamado “Crianças Autistas'”. O conteúdo foi apresentado pelo jornalista Tiago Abreu e por Yara Delgado, ambos autistas, e contou com três participações, entre elas a de Pedro Melim Alonso, que tem 12 anos.

Pedro ficou conhecido após participar do programa Caldeirão do Huck. Na época, esteve no quadro Pequenos Gênios, que explorou seu diagnóstico conjunto de Altas Habilidades. Desde então, ele tem participado da comunidade do autismo.

“Eu sou autista de grau leve, eu luto muito assim pra que o autismo tenha um reconhecimento, que ele seja reconhecido e que mude muitas coisas na sociedade”, afirmou. Entre os assuntos comentados, Pedro comentou seus temas de interesses e relações sociais com outros autistas. Ele também se declarou fã do livro A Diferença Invisível, de Julie Dachez, uma autista francesa.

O episódio, em comemoração ao Dia das Crianças, abordou vivências de autistas na infância e na pré-adolescência. “Crianças Autistas” ainda teve as participações de Gabriel Bertin, do portal Autismo Legal, e da estudante Laura Espíndola.

O episódio está disponível para audição em diferentes plataformas, como o Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google Podcasts e CastBox, ou no player abaixo. O Introvertendo também possui transcrição de seus episódios e uma ferramenta em Libras, acessível para pessoas com deficiência auditiva.

Introvertendo lança episódio sobre retorno de atividades na pandemia

Tempo de Leitura: < 1 minuto

O podcast Introvertendo, produzido por autistas e dedicado a discutir autismo, lançou nesta sexta-feira (9) o seu 137º episódio, chamado “O Autismo e o ‘Novo Normal'”. O conteúdo foi apresentado por Luca Nolasco, que é autista, e contou com as participações do analista de sistemas Paulo Alarcón e da estudante de Arquitetura e Urbanismo Carol Cardoso, também autistas.

O episódio deu enfoque ao retorno de atividades em plena pandemia, e de que forma autistas estão lidando com o chamado “novo normal”. Entre os assuntos, foram discutidas as mudanças de rotina de trabalho e estudo, sobrecargas sensoriais, habilidades sociais perdidas e acessibilidade.

Sobre a perda de habilidades, Carol Cardoso fez breves comentários. “Não tô mais habituada a sair de casa porque eu percebi que coisas que antes eu já tinha me acostumado fazer, por exemplo, ficar em salas de espera, acabaram sendo praticamente insustentáveis. Fez me dar conta de quanto que faz falta fazer a minha terapia de grupo presencial”, afirmou.

“O Autismo e o ‘Novo Normal'” é o episódio final de uma série desenvolvida pelo podcast Introvertendo sobre os efeitos da pandemia na comunidade do autismo. Antes disso, foram lançados seis episódios, entre eles “Relatos de Quarentena” (102), “Autistas em Protestos e Manifestações?” (115) e “Pandemia, Máscaras e Cansaço” (120).

O episódio está disponível para audição em diferentes plataformas, como o Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google Podcasts e CastBox, ou no player abaixo. O Introvertendo também possui transcrição de seus episódios e uma ferramenta em Libras, acessível para pessoas com deficiência auditiva.