Posts

Ex-funcionários de orfanato denunciam abuso de autistas no País de Gales

Tempo de Leitura: < 1 minutoQuatro ex-funcionários da Ty Coryton, um orfanato no País de Gales que oferece residência e escola a crianças e jovens autistas, fizeram uma denúncia divulgada pela BBC nesta quarta-feira (9). Segundo eles, autistas eram submetidos a maus tratos, como contenções e trancamentos desnecessários. Um dos relatos é de que uma adolescente autista menstruada era trancada regularmente em seu quarto.

Uma das denunciantes, Kristy Edwards trabalhou na casa entre 2019 e 2020 e relatou que uma das pessoas autistas foi mantida por mais de 20 minutos presa ao chão. Por isso, achou que ela iria morrer. Edwards também afirmou que presenciou um funcionário xingando uma criança autista, ao dizer que ela “fedia a merda”.

Kristy ainda afirma que o estado de alguns autistas é delicado. “Essa pessoa provavelmente vai ficar institucionalizada, sua equipe de apoio já está dizendo que ele precisa ser sedado, mas não precisa. Ele só precisa de estratégias comportamentais terapêuticas corretas e de alguém para trabalhar com ele em vez de trabalhar contra ele”, afirmou.

A residência é administrada pela organização Orbis Education and Care Ltd, que está colaborando com as investigações.

Adolescentes autistas que sofrem bullying tem 2 vezes mais chances de pensar em suicídio, diz estudo

Tempo de Leitura: < 1 minutoOs pesquisadores Johnny Downs e Rachel Holden publicaram um artigo chamado “Por que é fundamental perguntar a adolescentes autistas sobre o bullying” no Spectrum News, um portal de divulgação científica sobre o autismo. O texto chama a atenção para o risco de suicídio entre pessoas diagnosticadas com o autismo, sobretudo na adolescência.

De acordo com os autores, o bullying é um dos fatores para suicídio para adolescentes de desenvolvimento típico. No caso do autismo, o estudo destacou que adolescentes autistas que sofrem bullying têm duas vezes mais chances de terem pensamentos suicidas.

“Pedimos aos médicos que lutem contra essa tendência e façam um esforço conjunto para perguntar às crianças com autismo sobre o bullying. E quando um jovem autista relata o bullying a profissionais de saúde mental, isso precisa ser levado a sério. Nossa pesquisa sugere que o bullying não apenas contribui para o risco de suicídio, mas também impacta no tratamento dos jovens”, dizem os autores do estudo.