8 de outubro de 2022

Tempo de Leitura: < 1 minuto

O podcast Introvertendo, produzido por autistas adultos e com diálogos sobre o autismo, lançou nesta sexta-feira (7) o seu 225º episódio, chamado “Amizades Virtuais”. O episódio traz quatro pessoas autistas, Luca Nolasco, Michael Ulian, Thaís Mösken e Willian Chimura, que abordam como a internet os ajudou a fazer novas amizades.

Willian Chimura, que também é youtuber, pesquisador e ativista, afirmou que desenvolveu pela internet habilidades importantes para a vida. “A socialização certamente só foi possível por conta do computador, porque era o computador que possibilitava a interação pela internet naquela época. E assim, foi um um dos melhores investimentos que eu poderia ter tido na minha vida. É claro que eu não posso generalizar e dizer: ‘ah, então a receita para os autistas se socializarem é só deixar eles na internet’. Pelo contrário, existem muitos ambientes tóxicos e não acolhedores para autistas. Mas no meu caso certamente foi um divisor de águas e eu devo muito das habilidades sociais que eu tenho hoje para esse contexto da internet, certamente”, disse.

Publicidade
Livro: Autismo — Não espere, aja logo!

Thaís concordou com o Willian e disse que “pessoas que a gente conhece virtualmente ainda são pessoas reais” e que “quando a gente fala de coisas virtuais hoje, acaba sendo muito mais pra perceber essa vastidão que o meio virtual oferece em termos de temas, de tipos de pessoas e de tretas em relação ao meio físico, que a gente tem um normalmente um acesso menor a pessoas”.

O episódio está disponível para ser ouvido em diferentes plataformas de podcast e streaming de música, como o Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e CastBox, ou no player abaixo. O Introvertendo também possui transcrição de seus episódios e uma ferramenta em Libras, acessível para pessoas com deficiência auditiva.

COMPARTILHAR:

Canal Autismo é a maior plataforma de conteúdo a respeito de autismo da América Latina.

Heartbreak High, nova série Netflix, traz atriz e personagem autista

Acesso à terapia ABA não é suficiente se não houver qualidade nos atendimentos

Publicidade
Assine a Revista Autismo
Assine a nossa Newsletter grátis
Clique aqui se você tem DISLEXIA (saiba mais aqui)