Por

Selma Sueli Silva

"Jornalista e relações públicas, diagnosticada com autismo, autora dos livros "Minha Vida de Trás pra Frente", "Dez Anos Depois" e "Camaleônicos", mantém o site "O Mundo Autista" no Portal UAI e o canal do YouTube "Mundo Autista"."

Facebook AutorTwitter AutorInstagram AutorYoutube Autor

Por que os dias cinzentos me deixam triste?

15 de outubro de 2021Por que os dias cinzentos me deixam triste? — Canal Autismo / Revista AutismoReprodução / O Mundo AutistaImagem: Arquivo pessoal/Reprodução

Tempo de Leitura: 3 minutosEsta pergunta me acompanhou durante minha infância e adolescência. Por que os dias cinzentos me deixam triste? Se chove, então… Porém, só descobri a resposta já adulta. Acontece que muitas pessoas ficam tristes com os dias cinzentos. Entretanto, isso tem uma explicação biológica e psicológica. É claro que existem outras tantas, que não são assim. Tudo bem. Aí está a beleza da diversidade.

Tismoo Biotech

Dias cinzentos me deixam triste, explicação biológica

O ciclo circadiano, também conhecido como ritmo circadiano, é o mecanismo pelo qual nosso organismo se regula entre o dia e a noite. A partir dele, nossos processos fisiológicos são comandados para que nosso corpo consiga acordar, sentir fome, estar ativo, ficar com sono, e assim por diante. É sabido que o autista pode não ter uma boa autopercepção. Não era diferente comigo.

Assim, mesmo que meu organismo se sincronizasse todos os dias com a presença da luz solar recebida, minha autopercepção era falha. Contudo, sistematizei de maneira involuntária: maior iluminação indicava o início do dia. Portanto, a diminuição dessa iluminação, me preparava para terminar o dia e descansar.

Acontece, que todos em minha casa toda precisavam obedecer a um ritual. Senão o padrão funcionaria. Uma visita à noite, som alto, pessoas agitadas já tumultuavam o ritual do anoitecer. O mesmo deveria ser observado pela manhã. Se alguém perdesse a hora para se levantar, pronto! Eu já me sentia completamente, perdida.

Hormônios do bem

Outro fator importante é a ação da melatonina. De dia, com o sol, a concentração desse hormônio diminui. Ao anoitecer, há uma liberação maior da melatonina. É o que nos relaxa e nos deixa com sono. Nossa temperatura corporal diminui. E nos preparamos para dormir. Logo, os dias cinzentos, com falta de luz solar, geram o mesmo efeito. Por isso, nos sentimos apáticos e desanimados quando nosso corpo começa a se desativar.

A serotonina é o neurotransmissor da felicidade. Ela nos ativa, aumenta nosso ânimo e nos predispõe às relações sociais. Além disso, reduz o número de nossos pensamentos negativos. No entanto, a falta de luz solar faz com que nossos níveis de serotonina caiam significativamente. Desse modo, o desânimo, a tristeza e a nostalgia aparecem. No autista, essa reação é potencializada, devido às características desse cérebro neurodivergente.

Dias cinzentos me deixam triste, explicação da psicologia

Porém, nem a melatonina e nem a serotonina, sozinhas, criam esse efeito de tristeza. Ou seja, ele acontece pelas mudanças cognitivas e comportamentais que vivenciamos. Em outras palavras, são nossos pensamentos e comportamentos que fazem com que a tristeza e a apatia se mantenham.

Pessoas que experimentam os efeitos do clima em seu humor tendem a se isolar. Elas se isolam em dias nublados, frios ou chuvosos. E se tornam mais inativas, mais solitárias e mais focadas em pensamentos circulares disfuncionais. Na verdade, há uma redução das atividades e do contato social. Além disso, os diálogos internos se tornam mais pessimistas.

Uma vez o dia cinzento, meu dia sempre será assim também?

Depois que um psiquiatra me explicou tudo isso, meu segundo passo foi pensar numa estratégia. Por exemplo, algo que me livrasse dessa situação. Já que eu não poderia acabar com os dias cinzentos, decidi observar os tais fatores cognitivos e comportamentais.

Dessa forma, passei a negociar com meu cérebro. Eu fazia um esforço consciente para evitar a apatia e o aperto no coração. Aliás, outra coisa muito importante, era arranjar uma boa atividade para me manter ativa. Experimentei várias, até selecionar as mais agradáveis para mim. Além disso, me tornei atenta aos meus pensamentos. Se fosse algo ruim, eu arranjava uma forma de desviar minha atenção. E hoje, sinceramente, consigo até me deliciar com um dia chuvoso.

Compartilhe

Comentários

Fique por dentro das últimas notícias!
Assine a nossa News.

Autistas discutem em podcast o fim do diagnóstico de Síndrome de Asperger — Canal Autismo / Revista AutismoReprodução / Introvertendo

Autistas discutem em podcast o fim do diagnóstico de Síndrome de Asperger

/
Por Redação do Canal Autismo
O podcast Introvertendo, produzido por autistas adultos e com…
Carteira de identificação de autistas é lançada em Rondônia— Canal Autismo / Revista AutismoReprodução / Governo de Rondônia

Carteira de identificação de autistas é lançada em Rondônia

/
Por Redação do Canal Autismo
O governo do estado de Rondônia lançou, nesta terça-feira…
Não sabia que minha filha era autista. E nem eu — Canal Autismo / Revista Autismo

Não sabia que minha filha era autista. E nem eu

/
Por Selma Sueli Silva
Ainda hoje, eu consigo rir de mim mesma quando olho para trás.…