Por

Fátima de Kwant

""

Bilinguismo em crianças autistas

3 de setembro de 2021

Tempo de Leitura: 3 minutosUm estudo recente, publicado no jornal Autism Research no dia 19 de maio deste ano, revela que o bilinguismo de crianças autistas compensa, parcialmente, os déficits na Teoria da Mente e nas Funções Executivas.

Academia do Autismo

Famílias bilíngues sabem o quanto é difícil usar um ou outro idioma quando uma criança tem atraso de linguagem ou autismo. Meu próprio filho (autista) cresceu numa família bilíngue. Não sendo verbal até seus 7 anos de idade, sempre fomos aconselhados por especialistas a usarmos uma só língua, no caso, o holandês. A sugestão faz sentido, a priori, seguindo a dedução de não complicar (ainda mais) o desenvolvimento das habilidades comunicativas da criança autista. Por isso mesmo, o resultado da pesquisa desenvolvida pela Universidade de Genebra (UNIGE, na Suíça) surpreende os terapeutas acostumados a lidar com crianças autistas de famílias bilíngues. 

Com apoio da Universidade Thessaly (Grécia) e da Universidade de Cambridge (Grã Bretanha), os pesquisadores concluíram que falar/ouvir mais de um idioma pode beneficiar crianças com déficit na teoria da mente (habilidade de compreender as intenções, crenças, perspectivas, e emoções de outras pessoas), assim como nas funções executivas, responsáveis pelo planejamento, organização, e controle de pensamentos, emoções e ações.

Uma das co-autoras do estudo é Stéphanie Durrleman, pesquisadora no Departamento de Linguística da UNIGE. Ela explica que uma das dificuldades do TEA é colocar-se no lugar do interlocutor, focando o próprio ponto de vista e se distanciando da perspectiva do outro

E onde entra o benefício do bilinguismo no autismo?

“Já havia estudos sobre o bilinguismo apontando que crianças bilíngues aperfeiçoavam a teoria da mente e as funções executivas. O bilinguismo traz benefícios precisamente onde os autistas demonstram dificuldades, por isso, nós nos perguntamos se crianças bilíngues autistas conseguiriam suavizar os desafios do seu transtorno do neurodesenvolvimento usando dois idiomas todos os dias”, diz Stéphanie Durrleman.

Desse modo, os pesquisadores das três universidades acompanharam 103 autistas com idade de 6 a 15 anos, dos quais 43 eram bilíngues. Todos foram agrupados de acordo com idade, gênero, e intensidade (grau) de autismo. Os participantes executaram diversas tarefas com a intenção de acessar suas teorias da mente e funções executivas. Os bilíngues, rapidamente, se sobressaíram em relação aos não bilíngues.

Eleni Peristeri, outra co-autora do estudo, da Universidade de Thessaly, diz: “Bilinguismo exige que a criança primeiro trabalhe as habilidades que envolvem conhecimento de outras pessoas: A pessoa com a qual eu falo, fala grego ou albanês? Em que língua eu devo falar com ele? Numa segunda fase, a criança usa suas funções executivas para focar sua atenção em uma só língua, enquanto inibe a segunda”, explica Eleni.

Ginástica para o cérebro – uma terapia natural

Segundo os estudiosos, a prática de lidar com dois ou mais idiomas seria como uma ginástica para o cérebro, já que atua exatamente nos déficits relacionados ao TEA.

Outros resultados da pesquisa apontaram que o nível socioeconômico não influenciou o resultado, já que a maioria das crianças autistas participantes vinha de famílias com baixa renda/status socioeconômico. 

Apesar de relativamente pequeno, o estudo é um breakthrough para especialistas de autismo de todo o mundo, que costumavam indicar o uso de uma só língua em casa para a comunicação com o autista. A partir dessa pesquisa, fica comprovado o benefício do bilinguismo para o neurodesenvolvimento de crianças autistas. 

A sugestão, portanto, é para que famílias bilíngues sigam usando ambos idiomas, ainda que, aparentemente, isso possa comprometer o aprendizado do autista. Não somente não prejudica, como auxilia as crianças a superarem vários aspectos do TEA.  Ou, como a linguista Stéphanie Durrleman diz: “Bilinguismo é como uma terapia natural.”

CONTEÚDO EXTRA

 

Compartilhe

Comentários

Fique por dentro das últimas notícias!
Assine a nossa News.

Autistas discutem em podcast o fim do diagnóstico de Síndrome de Asperger — Canal Autismo / Revista AutismoReprodução / Introvertendo

Autistas discutem em podcast o fim do diagnóstico de Síndrome de Asperger

/
Por Redação do Canal Autismo
O podcast Introvertendo, produzido por autistas adultos e com…
Carteira de identificação de autistas é lançada em Rondônia— Canal Autismo / Revista AutismoReprodução / Governo de Rondônia

Carteira de identificação de autistas é lançada em Rondônia

/
Por Redação do Canal Autismo
O governo do estado de Rondônia lançou, nesta terça-feira…
Não sabia que minha filha era autista. E nem eu — Canal Autismo / Revista Autismo

Não sabia que minha filha era autista. E nem eu

/
Por Selma Sueli Silva
Ainda hoje, eu consigo rir de mim mesma quando olho para trás.…