22 de julho de 2021

Tempo de Leitura: < 1 minuto

Little Kinki, um rapper e intérprete de reggaeton autista de 18 anos, foi assassinado em Madrid, capital da Espanha, no dia 14 de julho. O jovem foi morto a facadas ao sair de casa para gravar um videoclipe. A polícia investiga o caso, e há suspeitas de que membros de uma gangue da região tenham sido os autores do crime.

De acordo com o jornal espanhol La Razón, Kinki recebeu um diagnóstico precoce de Síndrome de Asperger e se desenvolveu bem nas funções sociais, especialmente a partir de seu interesse pela música. O jovem morava com a mãe e participava de batalhas de rap em sua região, e chegou a lançar alguns singles como artista solo.

Publicidade
Congresso Extraordinário

Um dos amigos do músico relata que, na ocasião do assassinato, Kinki saiu de casa para gravar um videoclipe, e fez uma ligação. Pouco tempo antes do crime, o rapper teria dito por telefone que “eles estão me seguindo, mano”. A polícia descarta a hipótese de assalto, já que o jovem não teve pertences roubados, e suspeita que a gangue Dominicans Don’t Play esteja por trás do ato.

A mãe de Little, Mari Ángeles Tirado, participou de um ato em homenagem ao filho juntamente com músicos e amigos do rapper. A cerimônia ocorreu próximo ao Arco de la Victoria, com o acender de velas e discursos em memória de Little Kinki.

COMPARTILHAR:

Canal Autismo é a maior plataforma de conteúdo a respeito de autismo da América Latina.

Governo do RS anuncia centros de referência em autismo

Reino Unido lança programa multimilionário para apoio de autistas

Publicidade
Assine a Revista Autismo
Assine a nossa Newsletter grátis
Clique aqui se você tem DISLEXIA (saiba mais aqui)