24 de maio de 2023

Tempo de Leitura: < 1 minuto

A fala sobre autismo de um desembargador do Tribunal de Justiça do Maranhão repercutiu dentro e fora da comunidade do autismo. O conselheiro do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) Mário Goulart Maia solicitou a Luís Felipe Salomão, corregedor nacional, que tome providências sobre o ocorrido.

Segundo Lauro Jardim, em sua coluna para O Globo, afirmou que Maia justificou o pedido com base no argumento de que poderia ser uma falta disciplinar a partir de uma fala discriminatória.

Publicidade
1Pure/EndoPure

Raimundo Bogéa, o desembargador, defendeu que juízes com filhos autistas deveriam pensar antes de seguir a carreira. “Eu acho até que nesse concurso já se devia avaliar se o juiz, quando faz o concurso, tem um filho com problema. Porque é difícil o juiz fazer concurso… Nós somos privilegiados demais em detrimento do usuário do serviço público. E nós vamos sempre privilegiar um juiz e prejudicar o jurisdicionado”, disse.

COMPARTILHAR:

Canal Autismo é a maior plataforma de conteúdo a respeito de autismo da América Latina.

Secretaria de Saúde do DF promete novo local para AMA

Alysson Muotri: ‘Bloquear a ciência é um tiro no pé’

Assine a nossa Newsletter grátis
Clique aqui se você tem DISLEXIA (saiba mais aqui)