12 de junho de 2024

Tempo de Leitura: < 1 minuto

Hoje vamos falar sobre a religião e socialização do autista. Afinal, a religião pode desempenhar um papel significativo na socialização de pessoas com autismo. Isso ocorre tanto no caso crianças quanto de adultas. Portanto, a inclusão e o acolhimento em ambientes religiosos podem proporcionar uma rede de apoio valiosa para pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) e suas famílias.

Relato sobre religião, Budismo e autismo

Assim, neste vídeo, Sophia Mendonça e Selma Sueli Silva trazem um importante relato sobre como a sua religião, o Budismo, auxiliou em sua socialização e melhoria de vida como Pessoas Autistas.

Publicidade
Matraquinha

Todavia, é importante frisar que, não apenas o Budismo, mas, qualquer outra religião pode ser importante na socialização da Pessoa Autista. Por isso, escolhemos uma imagem de abertura deste vídeo que contempla as principais religiões existentes no mundo e cultuadas no Brasil.

Espiritualidade no autismo

Isso porque a espiritualidade alimentada e a crença em um ser superior podem se mostrar como fontes de esperança, superação, aceitação e resiliência para conviver com as características e encadeamentos de ações diárias apresentadas pelo TEA. Ou seja, tudo isso pode trazer força para enfrentar possíveis percalços e promover o bem-estar.

COMPARTILHAR:

Jornalista, escritora, apresentadora, pesquisadora, 24 anos, diagnosticada autista aos 11, autora de oito livros, mantém o site O Mundo Autista no portal UAI e o canal do YouTube Mundo Autista.

Aumento de diagnósticos de autismo e TDAH no Reino Unido: Entenda os motivos e o impacto na sociedade

Unifesp de Diadema promove curso para atendimento de autistas

Publicidade
Assine a Revista Autismo
Assine a nossa Newsletter grátis
Clique aqui se você tem DISLEXIA (saiba mais aqui)