Por

Selma Sueli Silva

Jornalista e relações públicas, diagnosticada com autismo, autora dos livros "Minha Vida de Trás pra Frente", "Dez Anos Depois", "Camaleônicos" e "Autismo no Feminino", mantém o site "O Mundo Autista" no Portal UAI e o canal do YouTube "Mundo Autista".

Facebook de Selma Sueli SilvaTwitter de Selma Sueli SilvaInstagram de Selma Sueli SilvaCanal no Youtube de Selma Sueli Silva

O que é Fenótipo Ampliado do Autismo – FAA?

3 de setembro de 2021O que é Fenótipo Ampliado do Autismo – FAA?

Tempo de Leitura: 2 minutos

É comum que pais ou irmãos de crianças que estão dentro do Transtorno do Espectro Autista (TEA) apresentem características do autismo. Entretanto, não preenchem os requisitos mínimos para serem diagnosticados com o transtorno. Dessa forma, as características presentes nas famílias acontecem de forma mais leve. A prevalência do transtorno nas famílias varia de 12 a 30% e os pais do sexo masculino apresentam mais características do que as mães.

Academia do Autismo

Certamente, são pessoas com o Fenótipo Ampliado do Autismo (FAA), que confirmam as teorias de que o transtorno pode ser passado, também, geneticamente, dos pais para os filhos. Porém, vale lembrar que o TEA tem uma base neurobiológica complexa e hereditária.

Sintomas do FAA

Depois de meu diagnóstico, tivemos a descoberta na família de mais duas pessoas e vários FAA. Por exemplo, minha avó materna apresentava retraimento social, leve dificuldade de linguagem e comunicação, rigidez quanto à sociabilidade e muita dificuldade para adaptação a mudanças.

Já a minha mãe, se escondia de mim e minhas irmãs quando se sentia sobrecarregada. E também ficava muito tempo calada. Porém, o que mais me chamava a atenção era o esforço que fazia para não perder os prazos judiciais. Ela se formou em direito. Contudo, as características podem aparecer de formas variadas em maior ou menor grau. Desse modo, não apresenta uma generalização de quais sintomas seriam mais recorrentes.

Somente uma avaliação adequada pode distinguir o que é sintoma, o que é do contexto ou comportamental, trazendo assim linhas de tratamentos favoráveis para os pacientes.

Minha mãe e o FAA

Depois do meu diagnóstico, ficaram mais evidentes as características “autísticas” de minha mãe. Assim, nós, filhas, sabemos que ela vai falar o que pensa de maneira assertiva. E mais, ela geralmente não escolhe as palavras para que sua fala se torne mais branda.

No entanto, o que me encanta em minha mãe é a disposição de aprender tudo que cause interesse a ela. Portanto, ela pode falar horas sobre filmes que assiste, os benefícios das plantas medicinais e até mesmo política pode virar um hiperfoco.

Mesmo de férias, Irene não descuida da saúde, aos 80 anos. Ela tem Parkinson e é FAA.

Mesmo de férias, Irene não descuida da saúde, aos 80 anos. Ela tem Parkinson e é FAA.

Com ou sem autismo, é preciso saber viver

No início de agosto, mamãe completou 80 anos de vida. Certamente, 80 anos de vida para viver. E ela faz isso muito bem. Quando foi para o interior de Minas, com minha irmã, fez uma entrevista com uma pessoa que chamou a sua atenção pela lição de vida.

Agora, em setembro, ela está em João Pessoa com minha outra irmã. Sempre se divertindo e cuidando da saúde. Da mesma maneira que autismo não é sentença de infelicidade, a vida, aos 80, também não é sinônimo de tristeza. Com ou sem autismo, é preciso saber viver.

Compartilhe

Comentários

Adolescente autista lança primeiro livro — Canal Autismo / Revista Autismo

Adolescente autista lança primeiro livro

/
Por Redação do Canal Autismo
Pedro Henrique, de 17 anos, está iniciando sua trajetória como…
Capacitismo linguístico — Canal Autismo / Revista Autismo

‘Capacitismo linguístico’

/
Por Paula Ayub
Na semana passada recebi, pelo direct do Instagram, um vídeo…
Casal de produtores diagnosticados com autismo contam experiências com diagnóstico tardio — Canal Autismo / Revista AutismoReprodução / O Globo