Por

Academia do Autismo

"A Academia do Autismo é uma Instituição especializada no Transtorno do Espectro Autista, focada em transformar a vida das pessoas com TEA, a partir da qualificação de profissionais, pais e familiares. Conta com 80% dos conteúdos gratuitos, atuando também na disseminação de conhecimento sobre o autismo."

Facebook AutorInstagram AutorYoutube Autor

Habilidades Básicas e ABA

15 de julho de 2021Habilidades Básicas e ABA — Academia do Autismo — Canal Autismo / Revista AutismoAcademia do Autismo

Tempo de Leitura: 3 minutos

Por Chaloê Comim e Gabriela Bandeira

As habilidades básicas são essenciais para o aprendizado de todas as pessoas. Elas são comportamentos simples e iniciais importantes para conquistarmos objetivos mais complexos.

Por exemplo, fazer contato visual é uma habilidade básica para processos mais elaborados, como interagir socialmente e nos comunicarmos.Quando falamos em autismo, sabemos que pessoas no espectro têm dificuldades em dois pontos centrais, conhecido como díade do autismo:

  • Interação e comunicação social
  • Padrão de comportamentos restritos e repetitivos.

Obviamente, essas dificuldades fazem com que o aprendizado de habilidades básicas e complexas seja um pouco mais complicado. Por isso, a Análise do Comportamento Aplicada (ABA, da sigla em inglês para Applied Behavior Analysis) é a ciência mais indicada para o ensino e treinamento dessas habilidades. Vamos entender mais sobre isso a seguir.

ABA

A ABA ficou conhecida por sua eficácia no tratamento de pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA). Entretanto, na realidade, ela faz parte de uma ciência muito mais ampla, chamada Análise do Comportamento, que pode ser aplicada a qualquer contexto socialmente relevante. Ela também pode ser entendida como a “Ciência da Aprendizagem”, pois suas intervenções visam ampliar repertórios, promover novas aprendizagens e autonomia.

Suas intervenções são baseadas em evidencias, resultado de décadas de estudos e pesquisas sobre o comportamento, particularmente, o comportamento humano

A Análise do Comportamento Aplicada, vai muito além de ser um mero conjunto de intervenções. Resumidamente (bem resumidamente), é a parte aplicada de uma ciência maior chamada Análise do Comportamento.

A Análise do Comportamento, é uma ciência que tem 3 “subáreas”, todas interligadas. São elas:

1 – O Behaviorismo Radical – a Filosofia da Análise do Comportamento, a teoria base desta ciência, que começou com o Skinner.

2 – A Análise Experimental do Comportamento, incumbida de realizar pesquisas, testar e produzir dados nesta ciência, com estudos experimentais sobre relações comportamentais em contextos socialmente relevantes. Para, assim, ir além da teoria, descartando ou comprovando-a.

3 – E finalmente, A ABA! A Análise Aplicada do Comportamento, que planeja e aplica intervenções, baseadas na filosofia Behaviorista e nas evidências obtidas com os estudos da área Experimental do comportamento. Então, os procedimentos que temos hoje na ABA passaram antes por anos de pesquisas.

Behaviorismo

Para começar a entender a ciência por trás da Análise do Comportamento Aplicada é preciso compreender que todo comportamento que temos foi aprendido e, portanto, pode ser modificado. Esse conceito de como as reações humanas acontecem por meio de comportamentos que foram aprendidos é explicado na psicologia pelo que chamamos de behaviorismo.

O behaviorismo se originou com o fisiologista russo Ivan Pavlov, que fez uso do condicionamento clássico para ensinar cães a salivarem ao ouvir o som de um sino. Esse experimento se dava da seguinte forma:

Mais tarde, o professor e pesquisador norte-americano B.F. Skinner acrescentou dois conceitos em sua teoria, a do condicionamento operante: reforço e punição.

Na Análise do Comportamento Aplicada, reforço e punição são compreendidos como fatores que influenciam todos os nossos comportamentos. São eles que determinam que os comportamentos podem ser ensinados e modificados, quando controlamos as consequências em torno daquela ação.

De uma forma simplificada, podemos dizer o seguinte:

  • Reforço é todo estímulo que aumenta a frequência de uma resposta e garante que o comportamento ocorra se mantenha com mais frequência no futuro;
  • Punição é todo estímulo que diminui a frequência de uma resposta e garante que o comportamento ocorra com menos frequência – e até pare completamente de ocorrer – em situações futuras.

Apesar desses conceitos parecerem bem simples, é necessário conhecimento e planejamento de estratégias efetivas, além de um conhecimento abrangente na Análise do Comportamento Aplicada como um todo antes de aplicar reforços e punições positivas e negativas em qualquer pessoa e situação.

Compartilhe

Comentários

Academia do Autismo

Fique por dentro das últimas notícias!
Assine a nossa News.

Estudo indica que ocitocina não tem eficiência para autismo — Canal Autismo / Revista AutismoReprodução / iStock

Estudo indica que ocitocina não tem eficiência para autismo

/
Por Redação do Canal Autismo
Um estudo publicado no New England Journal of Medicine indica…
Spectrum 10K: estudo genético sobre autismo é interrompido no Reino Unido após polêmica — Canal Autismo / Revista AutismoReprodução / Cambridge Independent

Spectrum 10K: estudo genético sobre autismo é interrompido no Reino Unido após polêmica

/
Por Tiago Abreu
O pesquisador Simon Baron-Cohen veio a público se desculpar…