Por

Nícolas Brito Sales

Experiência fantástica

1 de março de 2022Experiência fantástica — Canal Autismo / Revista AutismoReprodução / Revista AutismoImagem: Lucas Ksenhuk

Tempo de Leitura: 2 minutosEste ano de 2022 já começou cheio de surpresas! E por que eu estou dizendo isso?! Bom, para começar, minha família e eu AINDA não estamos dando palestras por conta da pandemia (e com razão). Porém, depois de quase 2 anos sem viajar, minha mãe recebeu uma proposta de atendimento pessoal em uma cidade do interior de Minas Gerais. Quando fiquei sabendo disso, eu não vou mentir, fiquei super desconfortável e com muito medo, achando que era uma má ideia, que seria perigoso, que talvez não fosse seguro etc.

Mas, eu fui incentivado pelos meus pais, que foram me ensinando e “quebrando minhas objeções” (expressão que aprendi agora). Eles me explicaram tudo e me deixaram mais confortável. Me disseram que íamos ter experiências diferentes e que era muito importante para nós, profissionalmente. Minha mãe já foi em outros lugares (Recife, Rio de Janeiro etc.), mas dessa vez ela achou que seria legal eu ir junto e ajudar a aplicar os protocolos. E de certo modo, acabou dando tudo muito certo. Eu até me surpreendi ajudando a aplicar os testes e eu servi como reforçador também, porque a menina que foi atendida já me conhecia da Internet. Resultado: foi maravilhoso, de verdade.

Academia do Autismo

Conhecemos uma família muito legal e muito querida, e eu acabei fazendo amizades novas nessa viagem. Não que tenha sido um completo “passeio no parque”, pois a gente sofreu uns bocados. Ficamos sem energia, sem internet, pegamos chuvas na estrada, mas eu tenho consciência de que, para mim, foi um grande avanço em relação à minha maturidade. Eu tenho certeza que se eu fosse uma criança, ou até mesmo um adolecente nessas situações, eu entraria em crise muito fácil. E isso me dá uma sensação muito boa só de pensar que fui bastante maduro pelo fato de ter ficado uma semana fora de casa, em um lugar que eu não queria estar.

Ah, e também nós fomos muito mimados lá. Ganhamos presentes (muito legais, por sinal!), comemos coisas diferentes e eu experimentei tudo que me deram de diferente, além das conversas com minhas novas amigas. São duas irmãs gêmeas, de 19 anos, que são muito simpáticas, legais, inteligentes e muito agradáveis. Além dos pais delas, das pessoas que trabalhavam lá, enfim, tudo maravilhoso de verdade!

Sim, eu tive dúvidas se seria bom e tive muita insegurança, mas foi uma experiência fantástica. Mas, não tem lugar melhor que o lar, ainda mais nessa época de pandemia. Voltamos para casa com a missão cumprida e foi muito legal o fato de eu fazer novas amizades e conversar pessoalmente com outras pessoas depois de quase 2 anos. Obviamente, com todas as precauções, porque todos tinham que usar máscara o tempo todo.

Será que irei para mais lugares? Não sei! Vai depender de onde será, e se minha mãe vai me levar como ajudante. Se for seguro, eu vou. Afinal, já sou um homem e preciso trabalhar.

Compartilhe

Comentários

Neurodiversidade na IBM Brasil — Canal Autismo / Revista Autismo

Neurodiversidade na IBM Brasil

/
Por Selma Sueli Silva
No dia 12 de abril deste ano, a IBM Brasil realizou o evento…
Rio Branco, no Acre, terá semana de conscientização sobre o autismo — Canal Autismo / Revista AutismoReprodução / G1

Rio Branco, no Acre, terá semana de conscientização sobre o autismo

/
Por Redação do Canal Autismo
Tião Bocalom, prefeito de Rio Branco, no Acre, sancionou a lei…
Adolescente autista lança primeiro livro — Canal Autismo / Revista Autismo

Adolescente autista lança primeiro livro

/
Por Redação do Canal Autismo
Pedro Henrique, de 17 anos, está iniciando sua trajetória como…