Por

Redação do Canal Autismo

Canal Autismo é a maior plataforma de conteúdo a respeito de autismo da América Latina.

Facebook de Redação do Canal AutismoLinkedin de Redação do Canal AutismoInstagram de Redação do Canal AutismoCanal no Youtube de Redação do Canal Autismo

‘Foi a grande virada da minha vida’, diz professor autista de 62 anos sobre diagnóstico

2 de abril de 2022'Foi a grande virada da minha vida', diz professor autista de 62 anos sobre diagnóstico — Canal Autismo / Revista AutismoReprodução / IntrovertendoImagem: Arquivo pessoal/Reprodução

Tempo de Leitura: 2 minutosNairan Ballestra tem 62 anos, é professor de filosofia na rede estadual de São Paulo e recebeu um diagnóstico tardio de autismo. Ele foi entrevistado no episódio “Idosos Autistas”, lançado pelo podcast Introvertendo nesta sexta-feira (1). Na ocasião, ele disse que saber que era autista impactou positivamente sua vida.

Isso pra mim mudou tudo. Tudo, absolutamente tudo. Porque aí eu já não estava mais perdido em alguma coisa que eu não entendia. Aí eu já sabia pra onde olhar. Foi a grande virada da minha vida”, disse ele.

Tismoo Biotech

Nairan também afirmou que algumas pessoas também o criticaram dizendo que o autismo seria um rótulo, o que ele discorda. “O diagnóstico não era me rotulando de alguma coisa. Ou seja, não era alguém dizendo algo pra mim que era arbitrário, que era simplesmente alguém apontando e fala: ‘ah, você é isso’. Não! O diagnóstico pra mim era a constatação de um ponto de partida”, destacou.

O professor também afirmou que saber do autismo autismo também lhe deu a possibilidade de concluir o ensino superior, tornar-se professor de filosofia e, desta forma, ter uma estabilidade de vida. “Eu não tinha praticamente nada. Eu não comprava roupas. Porque eu não tinha condição de gerar uma constância que me permitisse ter aquela solidez”, contou.

Pesquisas sobre autismo em idosos ainda não são comuns. Uma pesquisa de 2021 conduzida por David Mason, Gavin Robert Stewart, Simone Josephine Capp e Francesca Happé afirma que, apesar do aumento de estudos sobre autismo em idosos de 2012 pra cá, elas representam cerca de 0,4% dos trabalhos publicados em três grandes bases: PubMed, Embase e PsycINFO.

O episódio está disponível para ser ouvido em diferentes plataformas de podcast e streaming de música, como o Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e CastBox, ou no player abaixo. O Introvertendo também possui transcrição de seus episódios e uma ferramenta em Libras, acessível para pessoas com deficiência auditiva.

Compartilhe

Comentários

Autismo feminino e superdotação: sobre-excitabilidade — Canal Autismo / Revista Autismo

Autismo feminino e superdotação: sobre-excitabilidade

/
Por ONDA-Autismo
A superexcitabilidade, que também pode ser chamada de hiperexcitabilidade,…