Por

Francisco Paiva Jr.

Editor-chefe da Revista Autismo, jornalista, empreendedor.

Facebook de Francisco Paiva Jr.Linkedin de Francisco Paiva Jr.Twitter de Francisco Paiva Jr.Instagram de Francisco Paiva Jr.Canal no Youtube de Francisco Paiva Jr.

Pela 1ª vez, ‘minicérebros’ de autistas foram enviados ao espaço

15 de julho de 2022Pela 1ª vez, 'minicérebros' de autistas foram enviados ao espaço — Canal Autismo / Revista AutismoDepositphotos

Tempo de Leitura: 2 minutos

Em parceria com Nasa e SpaceX, Muotri realiza feito inédito para a ciência

Pela primeira vez na história organoides cerebrais (“minicérebros”) derivados de autistas foram enviados para o espaço, feito conseguido pelo neurocientista brasileiro Alysson R. Muotri. O experimento zarpou ontem à noite (21h44), em parceria com a Nasa e a SpaceX. É a terceira vez que Muotri envia minicérebros para a ISS (International Space Station, em português: Estação Espacial Internacional), porém as anteriores não contiveram organoides de autistas.

Publicidade
Academia do Autismo

A ideia é avaliar o que acontecerá com esses minicérebros de autistas na microgravidade, além do aceleramento do envelhecimento que já se sabe. “Os organoides que estão indo têm alterações em genes relacionados à epigenética, ou seja, são genes que trabalham no empacotamento do DNA dentro da célula. E mais ou menos um terço das mutações de autistas são nessa categoria de genes, os epigenéticos, que estão relacionados com a cromatina do DNA. O que esperamos neste experimento é estudar a interação dessas proteínas com o DNA e sabemos que na microgravidade elas se alteram de forma a acentuarem os fenótipos”, explicou Muotri.

US$ 1,5 milhão

O lançamento aconteceu em Cape Canaveral, na Flórida (EUA), na noite desta quinta-feira, 14.jul.2022, às 21h44 (horário de Brasília). Essa é a missão SpaceX CRS-25 — também conhecida como SpX-25 — do Serviço de Reabastecimento Comercial para a Estação Espacial Internacional, contratada pela NASA e “pilotada” pela SpaceX, utilizando o foguete cargo Falcon 9 Block 5, movido a querosene de foguete e oxigênio líquido. O custo total da missão é de 52 milhões de dólares. Só o projeto dos minicérebros, chega a 1,5 milhão de dólares. As missões anteriores que levaram organoides cerebrais humanos do Muotri Lab para a ISS foram em julho de 2019 e em novembro de 2020. A missão de ontem está prevista para chegar e se acoplar à estação espacial neste sábado, 16.jul.2022, às 12h20 (horário de Brasília). Quem quiser pode acompanhar pelo canal Nasa TV ou pelo site SpaceLaunchSchedule.com.

Made in Brazil

O brasileiro Alysson Muotri é biólogo molecular formado pela Unicamp, com doutorado em genética pela USP, pós-doutorado em neurociência e células-tronco pelo Instituto Salk de pesquisas biológicas (EUA). Atualmente é professor da faculdade de medicina da Universidade da Califórnia em San Diego (UCSD), nos Estados Unidos, é cofundador da Tismoo Biotech no Brasil (startup de exames genéticos para autistas)  e mundialmente reconhecido como um dos mais respeitados neurocientistas que trabalham com autismo. Além de Muotri, vários outros cientistas brasileiros da sua equipe trabalham nessa missão em parceria com a Nasa e a SpaceX.

Quer saber o porquê do neurocientista estar mandando organoides cerebrais para espação? Então, não deixe de ler o artigo “Minicérebros no espaço? Pra quê?“, do Portal da Tismoo e também assistir à explicação de Muotri no vídeo a seguir:

Compartilhe

Autistas Alvinegros são tema de reportagem do Bom Dia Brasil, na Globo — Canal Autismo / Revista AutismoReprodução / Rede Globo

Autistas Alvinegros são tema de reportagem do Bom Dia Brasil, na Globo

/
Por Redação do Canal Autismo
Primeira torcida de autistas do Brasil, os Autistas Alvinegros…
Criança autista entra sozinha em ônibus e doceiro ajuda a resgatá-la — Canal Autismo / Revista AutismoReprodução / Costa Norte

Criança autista entra sozinha em ônibus e doceiro ajuda a resgatá-la

/
Por Redação do Canal Autismo
Um menino autista de 11 anos desapareceu em 2 de agosto. No dia,…