Posts

Palavra mágica

Tempo de Leitura: < 1 minuto

coluna: Matraquinha

– Você quer dar um oi?

Esta é a frase mágica que utilizamos quando o Gabriel tenta uma interação social com outras pessoas.

As terapias fazem parte de nossas vidas desde 2011 e, de vez em quando, ele tenta interagir com o mundo que está à sua volta. Por outro lado, ele não sabe muito bem como fazer esta aproximação e, na maior parte das vezes, a reação da outra parte acaba não sendo tão amigável.

Não culpo as pessoas, pois o susto realmente é grande. Certa vez na cidade de Embu das Artes em São Paulo, ele agarrou o braço de uma senhora que deu um grito de horror e puxou a bolsa como se estivesse sendo assaltada. “Nós nos desculpamos”, explicamos e só depois percebemos que ela era estrangeira. E ficamos apenas no sorry.

Normalmente, as reações negativas desaparecem como num passe de mágica após a frase:

– Você quer dar um oi?

Algumas vezes é preciso mais uma frase:

– Me desculpe pelo susto, mas ele é especial!

– Filho, você quer dar um oi?

Logo em seguida perguntam o nome dele e todo orgulhoso ele responde (ele só consegue pronunciar o próprio nome de forma silábica):

– GA – BI – NEL

Pronto, fez-se a interação!

Com essa simples frase, tivemos a oportunidade de conhecer pessoas incríveis com histórias fantásticas, o que não aconteceria, não fosse pela interação de um garotinho com autismo.

Você tem alguma frase mágica?

 

PECS

Tempo de Leitura: 3 minutos

Sistema por figuras é boa ferramenta de comunicação para autistas

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) abarca um amplo universo de alunos com quadro clínico de déficit, em maior ou menor grau, nas áreas de interação social, comportamento e comunicação. Aqui darei foco na área da comunicação.

Para ensinar comunicação, precisamos entendê-la melhor: o que é comunicação? É um comportamento que exige duas pessoas. Uma pessoa identificada como “falante” (que entrega a mensagem) e a outra como “ouvinte” (que recebe esta mensagem e responde adequadamente). O método de comunicação mais difundido e usado com alunos com TEA é o PECS.

O PECS — Sistema de Comunicação por Troca de Figuras (Picture Exchange Communication System) — é um sistema para ajudar pessoas de várias idades que não conseguem se fazer entender através da fala, ou que têm uma fala muito limitada. Ou seja, o PECS é uma comunicação aumentativa e alternativa.

É equivalente à voz do aluno. Cada um precisará ter sua própria voz, sua pasta de comunicação PECS. Nós não compartilhamos vozes, então os alunos não devem compartilhar as pastas de comunicação. O aluno será ensinado a carregar a pasta para todos os lugares.

Para o sucesso no sistema, o elemento mais importante é a identificação de um poderoso conjunto de reforçadores. A equipe deve identificar itens e atividades que o aluno goste ao longo do dia. Oportunidades de comunicação devem ser planejadas e monitoradas cuidadosamente para que o acesso aos reforçadores identificados seja limitado.

As figuras deverão ser feitas antes da primeira lição do PECS. Recomendamos que seja identificado um conjunto de figuras, fácil para reproduzir e manter. O aluno poderá pedir vários itens diferentes durante uma atividade. Cada vez que o reforçador muda, a figura correspondente é colocada diretamente na frente do aluno.

Durante as fases iniciais, a figura funciona como um ticket que o aluno deve trocar com um parceiro de comunicação. Nas fases mais avançadas, os alunos aprendem a discriminar, formar frases, usar modificadores/atributos, responder perguntas e fazer comentários.

O PECS foi desenvolvido há 33 anos, nos EUA. O protocolo que está associado com o PECS é de propriedade intelectual de seus criadores, Andy Bondy e Lori Frost, fundadores da Pyramid Educational Consultants, nos EUA, e donos da empresa Pyramid Consultoria Educacional, no Brasil.

Várias instituições, clínicas, famílias e escolas no Brasil já adotaram o método PECS, que está se tornando popular por ser baseado em evidência, bem estabelecido, manualizado e de baixo custo para implementar. A eficácia do método é atestada por 150 publicações.

Para o aluno aprender a usar o PECS, é preciso ser ensinado por alguém treinado no método. Pesquisas mostraram que são obtidos maiores benefícios quando o PECS é implementado com fidelidade. Pais e profissionais de várias áreas podem fazer o curso para aprender a utilizar este sistema.

Convido a assistirem ao vídeo “Uma Imagem Clara:  O uso e benefício do PECS”, no site www.pecs-brazil.com/videos.php, apresentado pela cocriadora do PECS, Lori Frost. Esse vídeo não é  um substituto para o treinamento do PECS, ele fornece apenas uma boa visão geral sobre o protocolo.

Acredito que ensinando uma comunicação funcional ao aluno, este conseguirá expressar-se em relação ao mundo ao seu redor e uma vez que essa comunicação passe a ser compreendida, ele irá interagir melhor com as pessoas com quem convive. Desta forma, ensinando comunicação estamos melhorando a qualidade de vida dos alunos e de  seus familiares.

Para maiores informações sobre Pyramid Consultoria Educacional do Brasil e PECS, acesse www.pecs-brazil.com ou entre em contato com [email protected].